É CRIME I Ameaçar e expor Professor nas redes sociais. Pena prevista de até dois anos de prisão!

Os casos de perseguição nas redes sociais (cibernética) denunciados pelos Professores ao Sindicato tem crescido em números alarmantes. Pais e responsáveis, por vezes com xingamentos, ameaçam, difamam e assediam virtualmente os profissionais sobre os mais variados temas. São uma série de calúnias publicadas nas redes sociais (Facebook, Instagram e WhatsApp). É fundamental a vítima registrar o Boletim de Ocorrência (BO), pois o criminoso pode e deve ser preso conforme prevê a lei.

A atitude destes grupos de pais “irresponsáveis” ameaça a integridade física e psicológica dos Educadores, interferindo na liberdade e na privacidade dos mesmos. As dirigentes do Sintrasp responsáveis pelos assuntos pertinentes à Educação (Professoras Marta Barreto, Sheila Aparecida Thimoteo, Viviane Araújo Ventura Ribeiro e Cristianni Zuchelli Rocha de Queiroz) vão levar essa situação à Secretaria de Educação, com objetivo da realização de uma campanha educacional voltada à comunidade escolar.

PRISÃO E MULTA

Código Penal Brasileiro, desde a aprovação da Lei nº 14.132/21, prevê pena de reclusão (prisão que pode ser cumprida em regime fechado) de seis meses a dois anos e pagamento de multa à vítima. A pena será aumentada em 50% se o crime for cometido contra mulheres por razões da condição do sexo feminino.

AVALIAÇÃO DO SINTRASP

Infelizmente, o Professor é alvo das mais variadas injustiças. Como esse profissional irá contribuir para a melhoria da sociedade se a população não o valoriza e, às vezes, nem o respeita? Conosco é tolerância zero às calúnias e difamações. A internet não é terra de ninguém. Confiamos na Justiça em todos os casos reportados ao Sindicato e vamos fazer o possível para defender a integridade física e moral destes profissionais. Chega de desrespeito a quem tanto faz por Cotia.”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.